Saúde

Ultrassom microfocado: Dúvidas frequentes

Miguel Avila
É dermatologista, graduado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com residência em dermatologia na Santa Casa de Porto Alegre. É pós-graduado em Dermatocosmiatria na Faculdade de Medicina do ABC e membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia
contato@clinicamiguelavila.com.br 

O que é o Ultrassom microfocado?
Ultrassom, todo mundo sabe o que é, principalmente pelo seu uso nas gestantes. A diferença do microfocado é, como a palavra diz, que ele emite ondas de maneira dirigida ou focada a pequenos pontos localizados profundamente na pele. Nessas microrregiões a energia do ultrassom estimula o tecido e promove o rejuvenescimento.

O que especificamente ele melhora na pele? 
A principal indicação é o tratamento da pele flácida, o que melhora também rugas e sulcos. O ultrassom focado promove uma contração tecidual imediata e também estimula à produção de colágeno e elastina. E pode ser aplicado em vários locais, como rosto, pescoço, braços, abdome, coxas, bumbum, joelho, entre outros.

Existem outros equipamentos, como laser e radiofrequência, que melhoram a flacidez e rejuvenescem. Qual a vantagem do ultrassom microfocado sobre esses tratamentos?
A principal vantagem dessa tecnologia e a grande inovação que esse tratamento trouxe é a capacidade de tratar regiões muito mais profundas. E quanto mais profundo, maior o efeito sobre a sustentação da pele. Até o advento do ultrassom microfocado, as outras tecnologias tratavam apenas as regiões mais superficiais. Agora a realidade é outra. O ultrassom microfocado induz à contração de tecidos profundos e promove um lifting verdadeiro, em alguns aspectos comparável ao de uma cirurgia plástica, só que sem agulha e sem corte.

Todo mundo quer saber se esse procedimento dói?
As versões mais recentes e aperfeiçoadas dessa tecnologia têm uma aplicação  muito tranquila. Praticamente não causa dor, mesmo quando se usa grandes 
energias. Dessa forma, não é propriamente dor, mas um pequeno desconforto.

E quanto tempo demora o procedimento? 
É um procedimento relativamente rápido, sobretudo por ser confortável. Para tratar todo o rosto e o pescoço, por exemplo, leva em torno de 30 minutos apenas.

E qualquer pessoa pode fazer esse tratamento?
Praticamente qualquer pessoa que tenha queixa de flacidez. Algumas situações muito específicas são avaliadas antes do tratamento e eventualmente podem adiar ou limitar a realização, mas regra geral, não há contraindicações maiores.

Como o procedimento é feito?
É bastante simples. Após limpar a pele e delimitar a área que vai ser tratada, aplica-se gel de ultrassom. Com o paciente deitado, o transdutor é colocado sobre a pele e ligado para liberar as ondas de ultrassom. O transdutor, então, é movido alguns milímetros para o lado e ligado novamente, repetindo-se esse movimento até cobrir toda a região em tratamento.

Após o tratamento, é preciso algum tempo de repouso?
Essa é outra grande vantagem desse equipamento. Não precisa de tempo de recuperação. A pessoa faz o tratamento e pode seguir imediatamente com suas atividades normais. Eventualmente a pele fica levemente vermelha ou com pequenas áreas inchadas, as quais desaparecem geralmente em algumas horas.

Quantas sessões são necessárias e como é feito a manutenção dos resultados? 
O ultrassom microfocado é um tratamento cujos resultados são vistos com apenas uma sessão. Algumas pessoas buscam intensificar ainda mais os  resultados e acabam repetindo o tratamento em um mês, o que é perfeitamente possível. E para manter o efeito, recomenda-se apenas uma aplicação por ano.
 
Agora você já sabe tudo sobre o ultrassom microfocado! Lembre-se sempre de procurar um profissional e confiança e qualificado para realizar qualquer  procedimento, não ponha em risco sua saúde. Até a próxima.

Confira o vídeo

Leia por assunto:

Comentários
Publicidade