08/08/13 17h34 09/08/13 08h17

Oposição denuncia atraso no pagamento dos funcionários da Terra Clean

Vereador disse que empresa "não tem capacidade para executar limpeza da cidade"
Da Redação

O atraso no pagamento dos salários e benefícios dos funcionários da Terra Clean, empresa responsável pela prestação do serviço de limpeza pública na Capital, foi o tema do pronunciamento do líder da oposição na Câmara Municipal de Palmas, vereador Iratã Abreu (PSD), na sessão desta quinta-feira, 8.

Segundo Iratã, representantes dos sindicatos da categoria o procuraram na noite de quarta-feira, 7, para denunciarem que a empresa não está honrando os compromissos com os funcionários, pois, inclusive, reduziram os salários deles em desrespeito ao acordo coletivo assinado no ano passado. Sobre a redução dos salários, Iratã lembrou que o vereador Waldson da Agesp (PT) já havia falado sobre o assunto na sessão passada.

Em nome da oposição, Iratã lamentou a situação dos trabalhadores da limpeza pública. “São pessoas que trabalham duro debaixo do sol, recebem pequenos salários e agora estão passando pela dureza de terem seus salários reduzidos e ainda não recebê-los em dia”, apontou Iratã.

O vereador apontou também que a empresa Terra Clean demonstra que, além de não ter capacidade técnica para executar a limpeza da cidade, parece não ter compromisso com seus trabalhadores, pois sequer apresentou uma justificativa pelo atraso no pagamento de seus salários.

Atenta
O papel da oposição foi ressaltado pelo líder Iratã Abreu. Ele ressaltou que a oposição está atenta aos problemas estruturantes da Capital e a ineficiência dos serviços públicos e espera que a atual gestão mostre a que veio, pois até o momento os fatos demonstram que a gestão não está dando certo.

“Eu entendo que a partir do momento que nós vereadores, independente da questão política, devemos defender o palmense, a cidade de Palmas”, disse Iratã. O vereador Joaquim Maia (PV) complementou a fala de Iratã, afirmando que a oposição será a voz dos trabalhadores da Terra Clean. Lúcio Campelo (PP), por sua vez, propôs a abertura de uma CPI para abordar a questão do lixo.

Para finalizar, Iratã questionou o argumento de que a contratação da Terra Clean foi um grande negócio e que trouxe economia ao município. O vereador lembrou que a empresa foi contratada pelo mesmo valor que era pago à Litucera e que a diferença é que a empresa prestava o serviço com eficiência.