07/09/10 09h18 07/09/10 09h18

Araguaína está entre as 20 metrópoles do futuro de "Veja", impulsionada pelo setor de serviços

Foto: Internet

Araguaína: PIB de R$ 1,3 bilhão e renda per capita anual de R$ 11 mil


Da Redação

Araguaína foi escolhida pela revista Veja como uma das 20 metrópoles brasileiras do futuro. Para chegar a essa conclusão, Veja investigou a situação econômica de 233 municípios médios do Brasil, com população entre 100 mil e 500 mil habitantes. Desses, a revista visitou 23. Os dados selecionados foram apresentados aos pesquisadores Diana Motta e Daniel da Mata, que colaboraram em sua interpretação. Veja dedicou texto específico em sua edição do dia 1º aos casos mais interessantes, entre eles, Araguaína.

A conclusão mais interessante de Veja sobre Araguaína é que a chamada Capital do Boi Gordo assiste a participação da pecuária em sua economia emagrecendo. Conforme a revista, a pecuária, hoje, representa apenas 4% do produto interno bruto do município, considerada a capital econômica do Tocantins.

"O setor de comércio triunfou", afirma Veja. Segundo a revista, o consumo no comércio de Araguaína cresce 7% ao ano, e todas as pessoas que moram em raio de 200 quilômetros dependem da cidade, que abastece, além do Tocantins, o sudeste do Pará e o sudoeste do Maranhão. A população do Tocantins e esses dois Estados que dependem de Araguaína soma um total de 1,7 milhão de pessoas.

Veja diz que um dos subprodutos da enorme zona de influência da cidade foi o estímulo ao setor imobiliário, que, ressalta a revista, contrasta com a péssima infraestrutura local.

Condições precárias
As já conhecidas ruas de terra e repletas de buracos, em Araguaína, não passaram despercebidas pela reportagem de Veja que foi até o município. A revista ainda destacou as condições precárias do aeroporto, que passa por reformas. "Seu saguão não oferece conforto algum aos passageiros. Também faltam voos", pontuaram os repórteres.

Veja ainda lembra que o município é conectado diretamente a Brasília por uma única companhia. "Quem não consegue embarcar enfrenta até quatro horas de estrada para viajar para a capital, Palmas, ou Imperatriz, no Maranhão", ressalta a revista. Ela ainda diz que os ricos evitam esses contratempos com aeronaves particulares. "Nos dias mais movimentados é possível contar 25 aviões na área de manobra do aeroporto."

Dados
A revista diz que Araguaína tem 120 mil habitantes e um produto interno bruto de R$ 1,3 bilhão, com uma renda per capita anual de R$ 11 mil. O crescimento econômico anual está 5,8%, contra 3,8% estimado para cidades pequenas e 3,2% para as cidades grandes do Brasil.

Conforme a revista, o motor da economia araguainense é o setor de serviços. Os especialistas de Veja afirmam que a perspectiva da cidade está em acentuar sua vocação para o comércio e outras atividades afins.

Força das médias
Na reportagem, Veja cita estudo da socióloga Diana Motta e do economista Daniel da Mata, ambos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que mostra que, nos últimos dez anos, as cidades médias se converteram "no verdadeiro motor do desenvolvimento brasileiro".

De 2002 a 2007, o produto interno bruto do Brasil cresceu a uma taxa de 4% ao ano e o das cidades médias foi de 5,4%.
Leia por assunto: