Retorno ao cargo

Amastha diz que 6% do IPTU é "ínfimo" para cidadão e importante para gestão

Prefeito, que voltou ao comando do Paço nesta segunda, afirma que o valor do reajuste estava no planejamento para pagamento da data-base dos servidores municipais

Foto: Aline Batista/Secom Palmas
Cinthia Ribeiro e Carlos Amastha assinam o termo de transferência do cargo de prefeito

Wendy Almeida
Da Redação

A prefeita em exercício de Palmas, Cinthia Ribeiro (PSDB), após 15 dias à frente do Paço, repassou novamente a condução do Executivo ao prefeito Carlos Amastha (PSB). A assinatura do termo de transferência de cargo ocorreu durante coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira, 20. Na ocasião, Amastha avaliou o trabalho da tucana e comentou sobre projeto BRT, Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e eleições 2018. Segundo o gestor, o reajuste de 6% do IPTU deste ano estava no planejamento para pagamento da data-base dos servidores municipais. “Muita gente pagou e já me disse que não faz questão da devolução porque é um valor ínfimo para o cidadão e muito importante para a gestão”, afirmou.

Como o aumento foi derrubado na Justiça, a gestão aguarda o julgamento do mérito da questão, mas Amastha garante que o repasse da revisão salarial dos servidores será feito ainda neste ano. “A gente está reajustando o IPTU em 6% e temos 7% para pagar de data-base. Se a gente tiver uma decisão rápida da Justiça, nós daremos uma resposta rápida. Caso contrário, o funcionalismo merece respeito e terá a sua resposta. [A data-base] será paga neste ano com certeza. Acontece que se não conseguirmos a manutenção dos 6% do IPTU teremos que sacrificar algum investimento da prefeitura”, explicou o prefeito.

Amastha disse que espera uma decisão definitiva o mais rápido possível para solucionar essa questão e também quanto a reposição dos 6% aos contribuintes palmenses que já quitaram o IPTU. “A correção do ano 2017 a gente entende que é regular, mas havendo uma decisão definitiva contrária, procederemos a devolução desse valor. Se não acontecer nos próximos 60 dias eu garanto que a gente vai organizar essa devolução mesmo sem uma decisão em definitivo”.

IPTU 2018
Apesar de ter tentado votar a revisão da Planta de Valores de Palmas no final de 2016 - sem sucesso - Amastha destacou que o objetivo é discutir o assunto com a população durante o ano. “Fizemos questão de colocar essa discussão já no mês de janeiro para que não haja nenhum mal-entendido, porque temos o ano inteiro para mostrar para população que os únicos afetados com a atualização da Planta de Valores de Palmas são os grandes especuladores imobiliários”, disse. “Para eles acabaram os redutores, em 2018 vão pagar o IPTU cheio. Para população, como um todo, cai na maioria das regiões”, acrescentou.

De acordo com o chefe do Executivo, os redutores que diminuem o valor do imposto, foram alterados no projeto de lei aprovado, serão discutidos com a participação da população e Comissão da Revisão da Planta de Valores. O objetivo é que os vereadores da Câmara Municipal de Palmas reorganizem os redutores. “Enquanto o valor seja mantido, como será distribuído esses redutores nós queremos que seja uma decisão da sociedade”, pontuou. “A gente espera que dessa maneira a gente pacifique o tema”, reiterou Amastha.

Foto: Aline Batista/Secom Palmas
Amastha sobre governo do Estado: "Tocantins merece coisa melhor" 
Eleições
Em relação a sua possível candidatura ao governo em 2018, Amastha desconversou. Ele afirmou ser cedo para confirmar seu nome na disputa. “É tremendamente antecipado. Ainda tem muito trabalho para fazer pela frente”, afirmou. Entretanto, o chefe do Executivo adiantou que, independente de quem seja candidato, sua gestão vai participar “ativamente” do processo eleitoral e espera presenciar uma política diferente e alfinetou o Palácio Araguaia: “A gente entende que o Tocantins merece coisa melhor e tem grandes lideranças neste Estado que podem encarar esse desafio".

Para Amastha, "o que essas grandes lideranças têm que entender é que não existe vida nessas composições politiqueiras, de continuarem entre eles definindo quem manda". "Como se o Estado do Tocantins fosse uma fazenda e que nós todos fôssemos os bois deles para sermos comandados. O que precisa é fazer uma aliança com o povo, que com certeza cansou dessa maneira de fazer política. A gente quer presenciar uma política decente e digna”, defendeu.

Projeto BRT
O Projeto BRT também foi um dos assuntos abordados pelo prefeito durante a coletiva. Questionado pela Polícia Federal e com decisões desfavoráveis na Justiça, a implantação do sistema vai voltar ao centro da discussão, segundo Carlos Amastha, após a conclusão do inquérito da Operação Nosotros.

“Foi uma tremenda cretinice a criminalização de um projeto perfeito. Mas vamos esperar o final da operação para mostrar aos órgãos reguladores e de controle de que nunca existiu nada de irregular. Porque isso renova nossa força, nossa moral, na hora de debater a importância desses recursos para Palmas”.

Gestão de Cinthia
Durante a coletiva, Cinthia Ribeiro fez um balanço de sua gestão e avaliou como positiva a experiência. “Foi um período curto, mas muito gratificante e pudemos deixar algumas marcas, como a implantação da Nota Quente Palmense, a implantação da Rede de Monitoramento Cidadão, a discussão de políticas públicas para as mulheres”, disse. A tucana ressaltou que continuará atuante e espera que o prefeito dispute as eleições de 2018 para o governo ou Senado.

Amastha elogiou o trabalho da vice-prefeita Cinthia Ribeira no comando da Capital durante os dias em que esteve ausente para tratamento de saúde. “Estou muito satisfeito, muito feliz pelo que a prefeita Cinthia fez durante esses quase 20 dias à frente da cidade. Em ver que encontro tudo melhor ainda do que como a gente deixou”, concluiu o prefeito.

Além da vice-prefeita Cinthia Ribeiro, participaram da cerimônia de transição de cargo todos os secretários do Executivo municipal. 

Comentários
Publicidade
Publicidade