Tonolucro

Ministro Fachin determina inquérito contra Irajá Abreu, que teria recebido R$ 100 mil via caixa 2

CLEBER TOLEDO, DA REDAÇÃO 19 de May de 2017 - 15h42, atualizado às 14h14
Compartilhe
Da Redação
Foto: Divulgação
Irajá já tinha sido citado na lista do Fachin em abril, mas ministro pediu nova análise da PGR
O ministro Edson Fachin, relator dos processos da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a abertura de inquérito contra o deputado Irajá Abreu (PSD), filho da senadora Kátia Abreu (PMDB). A investigação é baseada na delação dos executivos da Odebrecht, dentro da Operação Lava Jato.

Conforme o jornal O Globo, a suspeita é de que Irajá tenha recorrido ao caixa dois na campanha de 2014. Ele teria recebido R$ 100 mil da empresa.

O nome do parlamentar já tinha aparecido quando a deleção dos executivos da Odebrecht foi liberada pelo ministro Fachin. Contudo, o pedido foi devolvido à Procuradoria-Geral da República (PGR) para nova análise.

Possivelmente, a PGR insistiu no pedido e foi aceito agora por Fachin.

Em abril
Investigação contra A senadora Kátia Abreu e o marido dela, Moisés Pinto Gomes, já tinha sido autorizado pelo ministro do STF no início de abril. A parlamentar é acusado pelos executivos da Odebrecht de ter pego R$ 500 mil via caixa 2, em duas parcelas de R$ 250 mil.

O CT entrou em contato com a assessoria de Irajá, mas não houve manifestação até o fechamento desta matéria.

Comentários

Redação: Palmas, Tocantins, Brasil, +55 (63) 9 9219.5340, +55 (63) 9 9216.9026, [email protected]
2005 - 2017 © Cleber Toledo • Política com credibilidade
ArtemSite Agência Digital